Texto 1

(…)Além da colheita de madeira, muitas árvores na Amazônia são derrubadas para plantar soja ou abrir caminho para pastagens lucrativas. A queima é comumente usada para remover árvores rapidamente. Como os incêndios que assolam a Califórnia, nos Estados Unidos, a maioria é iniciada por seres humanos e, depois, foge totalmente do controle.

Lovejoy descreve um sistema cíclico no qual o desmatamento alimenta a perda florestal, tornando a região mais seca, estimulando ainda mais o desmatamento. Grande parte da chuva na Amazônia é gerada pela própria floresta tropical, mas, à medida que as árvores desaparecem, a chuva cai. Especialistas temem que essa espiral descendente possa secar cada vez mais a floresta e empurrá-la para um ponto sem retorno, no qual se parece mais com a savana do que com a floresta tropical. (Adaptado de https://www.nationalgeographicbrasil.com/meio-ambiente/2019/08/tragedia-amazonia-pegando-fogo-bolsonaro-recordes-desmatamento-fumaca-impacto. Acesso em 24 ago 2019)

 

Texto 2

Abocanhando 49,29% do território brasileiro, a Amazônia é hoje o maior bioma do mundo, que abrange nove países (Brasil, Paraguai, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana Francesa e Suriname). São cerca de 40 mil espécies de plantas, 300 espécies de mamíferos, 1,3 mil espécies de aves, habitando em 4,196.943 km² de florestas densas e abertas.

Embora ampla e inegavelmente rica, abrigando a maior bacia hidrográfica do mundo e uma imensa reserva de madeira, a Amazônia, no entanto, mostra-se frágil. Além de sensível às ações antrópicas, cujas pequenas interferências podem causar danos de proporções irreversíveis, o ecossistema amazônico também sofre com a instabilidade climática e os baixos índices socioeconômicos da região. 

(Disponível em http://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/biomas-brasileiros/amazoniaAcesso em 24 ago 2019)

 

Texto 3

IHU On-Line – Quais são os fatores que contribuem para que haja queimadas na Amazônia? De que modo é possível reduzi-las?

Erika Berenguer – Atualmente existem uma série de fatores que atuam em conjunto para contribuir com os incêndios acidentais na Amazônia, dentre eles, três se destacam: o uso do fogo no preparo da terra para cultivo, as florestas cada vez mais degradadas e as mudanças climáticas. Tradicionalmente, os agricultores usam as queimadas para limpar a terra que estava em pousio, ou seja, sem ser usada para plantio por alguns anos. Os agricultores, em sua grande maioria, usam as queimadas com cuidado, porém o clima cada vez mais seco e quente na região amazônica devido às mudanças climáticas tem contribuído para as queimadas saírem de controle, virando grandes incêndios acidentais, que queimam áreas de cultivo e benfeitorias, assim como adentram as florestas, queimando-as.

Antigamente, quando o fogo entrava na floresta, ele não conseguia ir muito longe, afinal as florestas amazônicas são muito úmidas. No entanto, tanto a extração de madeira quanto os incêndios causam uma grande mortalidade da vegetação, o que resulta em muitas folhas e galhos no chão da mata e gera clareiras no meio da floresta. Essas clareiras permitem uma maior entrada de luz solar e de vento, deixando a floresta mais seca. A combinação de uma floresta mais seca e cheia de combustível no chão a torna muito mais vulnerável aos incêndios, gerando então um ciclo vicioso.

Como as previsões científicas mostram que a Amazônia será ainda mais quente e seca no futuro, algumas medidas são necessárias para evitar os grandes incêndios na região, como aqueles vistos no ano passado. Primeiro, é necessária uma ampla campanha educacional entre os agricultores, especialmente nas áreas historicamente mais afetadas por incêndios, para melhores práticas no controle das queimadas. Por exemplo, os resultados das nossas pesquisas mostram que apesar de 91% dos agricultores construírem barreiras ao fogo, apenas 7% deles evitam o horário mais quente do dia para iniciar as queimadas. Outro fator necessário é evitar uma maior degradação das florestas, como, por exemplo, maior fiscalização e punição de extração ilegal de madeira. Finalmente, é essencial que, em anos com previsão de secas extremas, sejam direcionados incentivos financeiros de emergência para os municípios que geralmente têm maior ocorrência de incêndios. Tais incentivos teriam o objetivo duplo de prevenir os incêndios antes do desencadear da seca e de combater os incêndios após o início da seca. (Disponível em https://amazonia.org.br/2016/12/incendios-na-floresta-amazonica-acarretam-uma-reducao-de-94-das-especies-de-arvores/. Acesso em 24 ago 2019)

Com base nos textos acima e no seu conhecimento de mundo, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

Desmatamento na Amazônia e incêndios