Inicio este texto para comentar o tema do Enem com a certeza de que propôs-se a discussão de um assunto absolutamente necessário nos dias de hoje. Estamos cada vez mais inseridos no mundo virtual e é preciso pensar como se dá esta inserção, como estamos presentes neste meio, assim como as suas consequências no mundo real. Justamente para pensar nessas questão, o Enem deste ano propôs que os candidatos elaborassem uma redação a partir do seguinte tema: “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. Ou seja, o candidato, para não tangenciar o tema, deveria, necessariamente, tratar de manipulação pela internet e como os dados fornecidos pelos usuários atuam nisso: a chave para essa discussão seria justamente o funcionamento dos algoritmos na produção de novos conteúdos ou na decisão do que deve ou não ser lido pelo usuário. 

Ressaltamos que esse tema, apesar de extrema relevância, não é simples de ser desenvolvido, já que é preciso que o candidato entenda um pouco sobre como funciona, por exemplo, o mecanismo de publicidade no meio virtual, bem como o uso de algoritmos para compreender o perfil comportamental do usuário. Para isso, a prova apresentou quatro textos de apoio, sendo três reportagens (texto I, texto II e texto IV) e um gráfico sobre como as pessoas usam a internet (texto III), possibilitando-nos observar que as mulheres acessam mais a internet do que os homens.

Algo comum nas reportagens era a discussão sobre o funcionamento dos algoritmos baseados nos dados fornecidos pelos usuários, que podem gerar conteúdos ou especificar aquilo que é mais desejado para o usuário, conforme o seu perfil. Assim, o usuário passa a ter acesso àquilo que seja considerado do seu interesse, o que pode deixa-lo alienado a discussões ou problemas que assolam a nossa sociedade. Tendo isso em mente, acredito que tenha sido de suma importância discutir as questões éticas acerca do modo como esses dados são utilizados, para que e por que são usados para meios comerciais e quais as consequências desse uso no mundo real. Aliás, essa discussão ética é importante, inclusive para se pensar nas propostas de intervenção, essencial na proposta de redação do Enem.

Outro ponto fundamental que poderia ser discutido a partir desta proposta, apontada, principalmente, no texto IV da coletânea, é a questão da ilusão de poder de escolha do usuário dando a impressão de que é ele quem escolhe que notícia irá ler, por exemplo, o que pode ser prejudicial para a formação crítica do sujeito, já que só lhes será fornecido um ponto de vista sobre o assunto, não tendo espaço para debates e discussões. Aqui é importante mostrar a escola como o lugar de formação do cidadão crítico: com debates e discussão de assuntos pertinentes à sociedade!

Finalizo esse breve texto sobre a prova de redação Enem para falar sobre os assuntos tão importantes tratados também nas provas objetivas como feminismo, feminícidio, nazismo, racismo, censura na época da Ditadura Militar no Brasil, crise hídrica, refúgio, entre outros. Ou seja, foi uma prova que trouxe para discussão assuntos de extrema importância para a nossa sociedade contemporânea.