Olá, vestibulando!

Hoje vamos prosseguir com nossos comentários a respeito de obras literárias que estão nas listas de vestibular. Vamos falar um pouco sobre o livro Mayombe, do autor angolano Pepetela, que trata de Angola em 1970, época em que ocorreu a guerra da independência no país.

 

Book_000000_50Tem sido tendência os vestibulares colocarem nas suas listas não somente livros da Literatura Brasileira, mas também obras que façam parte da Literatura em Língua Portuguesa, o que enriqueceu bastante as discussões e análises feitas para o vestibular. Além disso, os exercícios cobrados nesse sentido costumam ter caráter interdisciplinar, envolvendo a Literatura, a História e a Geografia desses países, como acontece com Mayombe que, na prova da Fuvest, já foi o centro de questões que envolveram a guerra também características da vegetação local, assim como o clima e características das florestas brasileiras. Porém, além de conhecer esse contexto, é fundamental saber detalhes do enredo da obra, visto que isso também é exigido do candidato.

 

Soldier_000000_50Sobre esta obra em especial, trata-se de um livro de 1980 que foi escrito por um participante da guerra de independência em Angola. Traz em suas páginas, justamente por isso, grande sensibilidade nas descrições das situações vividas pelos revolucionários, bem como apresenta sentimentos e reflexões do grupo de combatentes bastante genuínos.

Um narrador onisciente intercala sua narrativa com alguns guerrilheiros do MPLA, o que dinamiza a obra e, ao mesmo tempo, traz algumas complicações ao leitor, pois precisa ficar atento e observar quem tem a palavra naquele momento. Outra característica bastante interessante é que cada personagem possui, além do nome próprio, um nome de guerra, que é mais usado para identificá-los durante a narrativa. Portanto, é preciso estar atento, vestibulando.

 

Ruby Programming Language_000000_50Além disso, a linguagem do romance é bastante peculiar e regional, com termos bem diferentes que estão contidos em um glossário nas últimas páginas do livro. Isso traz para o texto mais riqueza de detalhes e transporta o leitor para o universo da guerra em Angola, fazendo com que a experiência da leitura seja única, repleta de palavras, reflexões e crenças locais.

 

UNHCR_000000_50Vale ainda ressaltar que as ações se passam na densa floresta de Mayombe, que dá nome à narrativa. A mata serve de refúgio, abrigo, aconchego, prisão e ventre desses guerrilheiros dispostos a renascer e lutar em prol do que acreditam, sendo, portanto, personagem central dessa comovente história que retrata a dura realidade da sociedade angolana.

 

E você, o que está esperando para iniciar essa leitura? Bom trabalho e até a próxima!

Profª Aline