Olá, queridas alunas e queridos alunos!

Vamos falar hoje sobre a prova de redação da Unicamp que aconteceu domingo passado. Os que querem fazer a prova da Unicamp já sabem que este vestibular não pede, em suas propostas, que o candidato escreva textos dissertativos, mas sim gêneros que circulam em nossa sociedade, como comentários em sites, e-mails, textos reivindicatórios, entre outros. Mesmo que você não tenha interesse nesse vestibular, é importante ler este post, pois os temas deste ano foram de uma relevância social indiscutível. Além disso, o que falaremos sobre as propostas da Unicamp poderá servir para a sua vida, já que a gente não estuda apenas para passar no vestibular, mas sim para nos tornarmos pessoas melhores e cidadãos mais críticos, não é mesmo?

Algo muito importante na prova da Unicamp, desde que ela começou a pedir a produção de gêneros discursivos, é a análise da situação pedida. O aluno precisa ler bem a proposta, interpretar a situação, levar em conta os textos-fontes para fazer a sustentação do seu ponto de vista ou para cumprir as tarefas pedidas nas propostas, o que nos permite dizer que a prova de redação da Unicamp analisa duas importantes habilidades do aluno: a produção escrita e a leitura. Duas habilidades fundamentais para um universitário!

 

Sobre o Texto 1 da Prova de Redação da Unicamp 2019

 

Para poder discutir o tema, vamos retomar a situação apresentada na proposta: uma professora de filosofia de escola pública recebe ameaças anônimas depois de começar a trabalhar um texto com os alunos que trata das origens da cidadania e dos direitos humanos. Ou seja, o que vemos aí nesta situação é a tentativa de algumas pessoas em censurar a professora, o que vai contra o direito da livre expressão e o da liberdade de cátedra.

O candidato, assim, deveria escrever um texto para introduzir um abaixo-assinado direcionado à direção da escola em nome de todos os alunos, os quais reivindicam uma tomada de posição da Direção da escola em favor da liberdade de ensino da professora e aulas de filosofia que tratem da temática dos direitos humanos, fundamentais nos dias de hoje. Ah, e todas essas reivindicações deveriam ser justificadas. Então, não adiantava apenas solicitar a tomada de posição da Direção e pedir as aulas voltadas para os direitos humanos: era preciso justificar todas essas demandas.

Para o desenvolvimento destas tarefas, era preciso, conforme apontado na proposta, basear-se tanto no texto que fora usado pela professora em sala quanto nos outros apresentados na propostas, compostos por uma tirinha do Armandinho, falando sobre a importância dos professores e o perigo que esta classe representa para alguns devido ao fato de ensinar as pessoas a pensarem; por um trecho da Declaração dos Direitos Humanos e por um excerto de um texto de Leonardo Sakamoto, no qual questiona porque muitos que estão no poder estão tentando transformar os professores em grandes vilões. Olha quanto texto interessante para gente pensar em diversas questões atuais, não é mesmo? Esses textos nos levam a refletir sobre o porquê trabalhar com o desenvolvimento crítico da população pode ser perigoso para uma elite que está no poder, por exemplo. Você já pensou sobre isso? Pois bem, se você fez a prova da Unicamp teve que refletir sobre essa problemática para poder cumprir a tarefa.

Além de analisar a situação e cumprir a tarefa, os candidatos que fazem a prova da Unicamp devem prestar atenção na construção da interlocução. O destinatário era claro: a Direção da escola. Porém, era preciso se atentar para o locutor.  Veja que você deveria escrever em nome de todos os alunos da escola, ou seja, você seria o porta-voz dos alunos. Logo, pronomes como ‘nós’, ou expressões como ‘os alunos da escola’, ‘nós, os alunos’ são fundamentais para a construção da interlocução do seu texto.

Agora em relação ao gênero texto para um abaixo-assinado, é importante considerar que se trata de um texto cujo propósito é apresentar o motivo do abaixo-assinado. Veja que não há uma receita específica para tal gênero, pois, para produzi-lo, era preciso ler a proposta com atenção e interpretá-la, além de entender como articular as expressões de interlocução à sua escrita. Ou seja, nada de fórmulas! É preciso entender a proposta e para que serve um abaixo-assinado.

Caso você tenha realizado a prova da Unicamp, desejamos que você tenha feito uma leitura realista da situação e tenha entendido o grande problema em buscar censurar os professores, o que pode prejudicar, e muito, a formação de cidadão críticos.

 

Sobre o Texto 2 da Prova de Redação da Unicamp 2019

 

Assim como a primeira proposta, a segunda instigava os candidatos a pensarem em um tema contemporâneo, no caso, o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de um país e o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), apresentados em dois gráficos, e as possíveis consequências de privilegiar o consumo para o desenvolvimento social. Veja que há três pontos relevantes que devem ser levados em conta na leitura desta proposta: consumismo, crescimento do PIB e crescimento do IDH.

Uma proposta complexa como esta deve ser lida pelo candidato com bastante atenção, pois há muitos detalhes que devem ser notados. Veja que, para cumprir o propósito, era preciso compreender o que fora pedido nas tarefas, mas também as questões feitas pela professora no fórum, apresentadas na abertura da proposta. Logo, para elaborar o texto da postagem e apresentar em qual ranking o Brasil subiria se privilegiasse os aspectos ‘qualidade de vida’ e ‘igualdade no desenvolvimento social’, era preciso observar a atual posição do Brasil nesses rankings e interpretar o conteúdo apresentado nos textos 3, 4 e 5, sendo que os dois primeiros tratavam da indústria e comércio têxtil e o último falava sobre a Noruega, país que está há 12 anos no topo do IDH. Segundo o texto 5, isso se deve à combinação de uma política econômica que busca uma distribuição de renda igualitária.

Além de falar sobre a posição do Brasil nos rankings representados no gráfico, o aluno deveria apresentar as consequências de se privilegiar o consumo para o desenvolvimento social. Se retomarmos a proposta, podemos observar que os textos 3 e 4 apresentam subsídio para você tratar desta parte da proposta, sendo que o texto 3 apresenta os aspectos negativos da indústria têxtil em relação ao meio ambiente e às questões sociais e o texto 4 apresenta o consumismo como um indicador de crescimento econômico. Esses dois textos mostram a complexidade do assunto e, também, contribuem para que o candidato sustente o seu ponto de vista na discussão.

Bom, acredito que você já tenha compreendido o propósito do texto, mas como organizar tudo isso em uma postagem? Como será a estrutura de uma postagem? Veja que este gênero discursivo é bem comum atualmente: fazemos postagens em fóruns de discussão, na timeline do Facebook, em ambientes de aprendizagem virtual. Essas postagens têm o propósito de apresentar a sua opinião, suas reflexões sobre um assunto, não é mesmo? Pois bem, neste gênero não é obrigatório título, mas é bem vinda uma saudação à professora e aos colegas de classe, que provavelmente lerão o que você escreveu. No mais, é importante que você apresente o que é pedido na proposta, sempre reforçando o seu ponto de vista. Terminar a postagem com uma saudação também é interessante!

Como acabei de dizer, na postagem, você vai apresentar o seu ponto de vista. Logo, é um texto pessoal e você pode usar a primeira pessoa do singular, assim como também pode se dirigir à professora e aos colegas, que provavelmente lerão sua postagem, para construir a interlocução do texto. Entretanto, cuidado para não exagerar nas retomadas da interlocução com a professora e os colegas, pois o importante nesse gênero é você sustentar o seu ponto de vista por meio de argumentação consistente e não travar uma conversa. Bem, se você tem costume de postar ou ler postagens no Facebook, você já tem familiaridade com esse gênero!

Finalizo aqui esse meu breve comentário sobre essa importante proposta que levou os alunos a pensarem criticamente sobre o consumismo, bem como o que deve considerado para o crescimento econômico e social de um país. Será que vale a pena um país estar no topo do PIB, mas em último no IDH, como é o caso da Índia? Será que toda a população é beneficiada com o crescimento do PIB ou apenas uma pequena parcela? Essas questões deveriam ser tratadas na argumentação para sustentar o ponto de vista, mas também devem ser levadas em conta para pensarmos nas políticas atuais de nosso país! Veja que esta proposta trouxe um tema que interfere na nossa vida, assim como a proposta 1. Temas que demandam discussões urgentes!

Como já disse, caso tenha feito a prova da Unicamp, espero que tenha desenvolvido bem as tarefas dentro dos gêneros propostos. Mas, se não fez tal prova, convido-o a escrever com base nessas propostas. São fundamentais para um cidadão consciente e crítico!

 

Um grande abraço,
Profa. Fernanda D’Olivo